ARTIGO

Fala Muito!
img


Sim, como bom Corinthiano e Brasileiro, sou fã do Tite, mas nossa coluna não vai abordar o futebol! O aclamado WhatsApp será mais uma vez a estrela!

Já falamos do engenhoso aplicativo no artigo “Viúvos do WhatsApp”, no qual criticamos o uso imoderado do mesmo por boa parte da população. De lá para cá, novidades surgiram, dentre as quais a possibilidade de envio de mensagens de voz, o que estimulou a escrita dessas breves palavras.

Na verdade, o que incentivou de fato a presente abordagem, foi observar, em minhas relações cotidianas, como as pessoas estão dando uma equivocada utilização ao aplicativo, que serve para mensagens, e não para discursos.

O WhatsApp gerou uma grande preguiça coletiva, pois, ao invés das até então habituais ligações telefônicas, passou a tornar regra o envio de mensagens. O campo de utilização? O mais vasto e variado possível! Negócios fechados, relacionamentos iniciados e terminados, votos de parabéns em aniversários... “pra que ligar se posso escrever um zap zap” (hipocorístico ou apelido carinhoso do aplicativo)?

No entanto, escrever estava se tornando “muuuuito” cansativo... os dedos já não aguentavam mais! Eis que surge a evolução, com a possibilidade do envio de mensagens de voz. Quando a preguiça já parecia extrema, prova-se que ainda poderia aumentar, infelizmente.

O crucial problema das mensagens de voz é estarem se transformando verdadeiros discursos, de 3, 4, 5 minutos... considerável fatia desses minutos é composta por divagações, cujo conteúdo poderia ser resumido a 15 segundos. Mas a moleza de pensar para resumir é tanta, que se prefere sair falando o que “dá na telha”, e quem for escutar que arrume tempo para compilar!

Mantendo o viés notarial do trabalho, relevante a informação de que todo o conteúdo de mensagens de WhatsApp ou qualquer outro aplicativo, incluindo sons e imagens, poderão ser constatados por um Tabelião de Notas em uma ata notarial, constituindo robusto meio de prova, previsto no Código de Processo Civil (art. 384).

Gustavo Simões Pioto
08/05/2017

Excelente artigo Dr. Arthur. Não somente a preguiça em escrever, mas WhatsApp se tornou uma fonte de ofensas e acusações, por vezes levianas, que tomam uma dimensão sem tamanho, num curto espaço de tempo. Assim, o meio mais eficaz para provar esese fatos, é a ata notarial lavrada por um tabelião.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são obrigatórios!