VARIEDADES

DG Entrevista – Talita Caldas.
img


Nome Completo: Talita Armelin de Oliveira Caldas

Profissão: Pesquisadora e Consultora Especialista em Cartórios

Data de Nascimento: 27/02/1982

Site/Redes Sociais: www.tac7.com.br

https://www.facebook.com/Tac7GestaodeCartorios/

https://www.facebook.com/talita.caldas

Instagram: tac7_gestao_cartorio e talita.caldas.tac7

Time de Futebol: Flamengo (influência do marido carioca)

Hobby: Dançar

Uma música: Man, I feel like a Woman! da Shania Twain

Um ídolo: meu pai, que passou literalmente por todas as funções de um cartório (vem de família humilde, varreu chão de cartório, foi auxiliar, escrevente e depois substituto, iniciou a faculdade de direito, foi promotor de justiça, juiz de direito, desembargador, aposentou, passou no concurso de cartório e encerra sua carreira profissional como titular).

 

1-) Qual o maior benefício da atuação dos cartórios (serventias extrajudiciais) para a sociedade brasileira?

É impossível pensar o Brasil sem os cartórios extrajudiciais nos tempos atuais. Infelizmente somos ainda um país atrasado, em que ronda a "esperteza", o jeitinho brasileiro para obter vantagem em cima do descuido ou da falta de informação do outro. Os cartórios, quando bem controlados e gerenciados, garantem a segurança jurídica para os principais atos jurídicos da vida do cidadão (nascimento, casamento, óbito, testamento, registro e transferência de propriedade imóvel, e mais recentemente o divórcio, o apostilamento, entre outros). E por que digo “quando bem controlados e gerenciados”? Porque conheço uma pessoa semianalfabeta, que é honesta e trabalhadora, mas que em 2010 assinou um documento sem entender o teor para ajudar uma "colega" e alguns meses depois tinha três empresas em seu nome, diversos cheques na praça e atualmente sua dívida é de 5 milhões! O caso está no Ministério Público, e até hoje ela não pode ter conta bancária, e nem comprar nada no crediário. Por isso é necessário treinamento dos colaboradores, é essencial que eles tenham uma avaliação jurídica e comportamental, e é requisito básico que sejam monitorados de perto. Só assim os cartórios, com seu papel destacado, continuarão beneficiando a sociedade. Por fim, a importância dos cartórios ainda mais se acentua no aspecto da desjudicialização, na medida em que o notário e o registrador passaram a exercer, desde que observadas certas restrições e em determinados casos, com economia de tempo e de recursos públicos, competências antes privativas do Judiciário, como inventário e partilha, separação e divórcio, etc., o que é mais uma razão para os titulares redobrarem a atenção, entregarem um bom serviço à sociedade, terem uma boa localização, uma boa infraestrutura, e controlarem sua gestão de perto.

2-) Dentre os atos praticados pelos cartórios, destaque um que considere de maior relevância.

Difícil dizer, pois os principais marcos da minha vida têm cartório na história. Validação dos documentos para viagem internacional a trabalho e a estudo (Austrália, Estados Unidos, Argentina, Chile,  Colômbia, etc.). Certidão de casamento, pela importância social. E, quando me tornei mãe, minha principal preocupação foi ter a filhota perto com a certidão de nascimento.

3-) Se pudesse mudar algo na atividade notarial e registral, o que seria?

Mudaria a visão do contexto em 3 pontos:

1) gostaria que o cartório fosse visto como uma empresa, tanto pelo titular quanto pelas organizações jurídicas, inclusive devendo se caracterizar como pessoa jurídica, sendo tributado no CNPJ e não do CPF;

2) gostaria que o titular se enxergasse como um empresário, responsável gestão de pessoas; de materiais; pela execução de tarefas com eficácia e eficiência; por assegurar a viabilidade financeira da organização no médio e longo prazos; e, acima de tudo, por pensar no legado que ele pode deixar no atual cartório, pois sua influência na sociedade é inerente às suas realizações, portanto que elas sejam positivas!

3) Por fim, gostaria que a sociedade tivesse uma imagem diferente dos cartórios, porém isso só é possível se todas as especialidades se unissem para investir financeiramente em um novo posicionamento de mercado, pois a "marca" dos cartórios está desgastada, resultado do que aconteceu no passado (antes de 1988 com aquelas gestões familiares que se preocupavam de mais com o retorno financeiro e de menos com a segurança jurídica e eram fiscalizadas menos do que deveriam), e resultado do que ocorre hoje (principalmente com a divulgação do faturamento dos cartórios no CNJ), se você se lembrar da havaiana de 1980 e da versão atual saberá a importância de "reposicionar a marca".

Sei, entretanto, que a única coisa viável é o item 2, por isso abri minha empresa, pensando em um futuro melhor, trabalhando com pessoas que querem fazer diferente e valorizam o tema. Graças a nossa determinação e aos clientes que compartilham das mesmas preocupações temos muitos projetos pela frente.

4-) Deixe uma mensagem para os leitores do Blog do DG que são admiradores de sua atuação.

Costumo dizer que alguns titulares têm a terceira visão. Esse perfil de titular é do tipo que olha o futuro e gosta de se planejar para sempre ser o melhor. E não digo ser melhor que os outros cartórios ou outros titulares, mas sim que buscam como meta ser o melhor do mundo naquilo que fazem, sem alternativas. E para serem este tipo de pessoa,  são realizadores, não conseguem ficar na zona do conforto nem participar do movimento das manadas.   Eles sabem que só serão melhores se fizerem diferente, e por isso buscam a melhoria contínua no dia a dia, são referência para a equipe e admirados pela sociedade.  Já encontrei muitos que me inspiram e sei que existem outros tantos no Brasil. Continuem assim, pois mesmo sem querer vocês influenciam e inspiram a todos ao seu redor, no âmbito pessoal e profissional! Essa é a única dimensão  em que aceito a mistura da pessoa física com a pessoa jurídica!

Ainda não existem comentários para este Post!!!

Seja o primeiro a comentar!!!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são obrigatórios!